Resistência Iraquiana: 4 anos de guerra pela libertação

Escrito por Resistência Camponesa
Publicado em 08/05/2008
Categoria: Edição nº 15
Os EUA estão atolados no Iraque desde março de 2003 quando impulsionados por uma grave crise econômica invadiram o país para controlar principalmente o petróleo da região. De lá para cá já assassinaram cerca de 650.000 iraquianos, os ianques já sofreram mais de 50.000 baixas e gastaram mais de 350 Bilhões de dólares.

Carro de combate ianque é apedrejado pelo povoCarro de combate ianque é apedrejado pelo povo Iraquiano comemora mais uma ação vitoriosa contra as tropas invasorasIraquiano comemora mais uma ação vitoriosa contra as tropas invasorasEnviaram mais 21.000 soldados para o Iraque e até então, estão longe de conseguir derrotar a heróica resistência iraquiana. Como não conseguem vencer a guerra, o que fazem é manter o país conflagrado para continuar com a permanência de suas tropas enquanto promovem o saque das riquezas, principalmente o petróleo.

O Estado brasileiro gerenciado por Lula, tem se mostrado fiel lacaio ao auxiliar indiretamente na ocupação do Iraque, colocando o exército brasileiro para servir de tropa de choque dos ianques no Haiti. Com isso os EUA podem concentrar mais forças no Iraque e com a tranqüilidade de saber que seus interesses no Haiti estão assegurados pelo exército brasileiro.

Saddam: mártir da heróica resistência iraquianaSaddam: mártir da heróica resistência iraquianaPorque assassinaram Saddam?

Vimos na mídia toda uma euforia em torno da condenação e assassinato de Saddam Hussein, presidente do Iraque. A condenação e assassinato de Saddam Hussein culminaram um processo de procedimentos ilegais, injustos e inválidos de uma corte fantoche, produto e instrumento da agressão dos EUA.

A ocupação do Iraque e assassinato de Saddam ferem todas as leis internacionais, onde um agressor não pode julgar um prisioneiro de guerra. Os ianques acreditavam que assassinando um líder da resistência iraquiana conseguiria golpear a brava luta desse povo.

O assassinato de Saddam só fez aumentar o ódio do povo contra as tropas invasoras e o transformou em um mártir da resistência, fato demonstrado pelos inúmeros atos e manifestações desencadeadas em sua memória após sua execução.

A resistência armada do povo iraquiano cresce a cada dia!

Na palestina, Afeganistão e Iraque, cresce a resistência contra as tropas invasoras ianques e israelensesNa palestina, Afeganistão e Iraque, cresce a resistência contra as tropas invasoras ianques e israelensesRecentemente vários grupos que participam da resistência unificaram o seu comando o que significa um grande salto na luta contra a ocupação. A resistência iraquiana incansavelmente golpeia as tropas assassinas imperialistas. Todos os dias, de norte a sul do Iraque acontecem centenas de ações armadas que visam expulsar o invasor. Até mesmo a chamada “zona verde” em Bagdá, tão propagandeada como sendo área inviolável e imune vem sofrendo seguidos ataques da resistência.

E por mais que os invasores relutem, e enviem mais contingentes de soldados e mercenários, a resistência iraquiana tem prevalecido e está derrotando o inimigo parte por parte. Desde o início da ocupação os imperialistas ianques têm colhido derrotas atrás de derrotas e mais dia menos dia o mundo assistirá os EUA saírem escorraçados do Iraque.

A resistência iraquiana deixa uma grande lição para todos os povos do mundo: é possível enfrentar e derrotar o imperialismo! O imperialismo é um tigre de papel!

O exemplo do heróico povo iraquiano fortalece e inspira os povos oprimidos de todo o mundo a lutar pela destruição do imperialismo.
   

Matérias da edição nº 20:

Editorial: O Brasil precisa é de uma grande Revolução

IMAGE
Passados seis meses de seu segundo mandato, Dilma/Lula/PT estão vendo cair por terra as máscaras que usaram para enganar o povo há mais de 20 anos. Fizeram tudo que disseram que não fariam: cortaram direitos trabalhistas como pensão, seguro desemprego e aposentadoria, reduziram o orçamento de educação e saúde. E como resultado, aprofundou a grave crise política e...
Companheiro Paulo Justino: presente na luta!

IMAGE
No dia 1º de maio, no distrito de Rio Pardo, mais um camponês foi covardemente assassinado. Paulo Justino Pereira era presidente de uma associação que lutava pelos direitos dos camponeses da região, principalmente terra para mais de 250 famílias despejadas há dois anos. Esta foi a principal reivindicação que ele apresentou numa reunião com Gercino José, o Ouvidor...
Camponeses fecham a BR e apontam necessidade de uma grande Revolução

IMAGE
Na madrugada do dia 9 de abril camponeses de diversas áreas organizados pela LCP fecharam a BR-364 em Jaru. O protesto foi contra os aumentos e medidas anti-povo decretados desde o início do ano pelo governo Dilma/PT e também exigiu regularização das áreas, energia elétrica, estradas e escolas. A manifestação também lembrou o dia 9 de abril como dia dos heróis do...
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO

IMAGE
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO Ari, Alcindo, Enio, Ercílio, José Marcondes, Nelci, Odilon, Maria Bonita, Oliveira, Jesus, Darli   1995 Honra e glória aos heróis do povo brasileiro!
Todos à celebração do 9 de agosto!

IMAGE
No dia 9 de agosto de 2015 completam-se 20 anos da heroica Batalha de Santa Elina, em Corumbiara. Nesse ano também se completam 5 anos da sua retomada e conquista. Depois de muita luta, hoje essas terras se encontram divididas em pequenos lotes onde centenas de famílias tiram seu sustento e movimentam o comércio da região. A LCP e os camponeses que retomaram estas terras,...
Juiz ordena despejo violento em Machadinho

IMAGE
No último dia 27 de maio, mais de 30 famílias foram despejadas do acampamento Cajueiro 1, localizado na fazenda Paredão, na RO-257, em Machadinho D’Oeste. Participaram da ação vergonhosa policiais da PM, GOE, do serviço de inteligência, da Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, fortemente armados, em várias viaturas e até num helicóptero. Os policiais obrigaram todos...
   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «