Ler e escrever, é preciso aprender!

Escrito por Resistência Camponesa
Publicado em 17/05/2008
Categoria: Edição nº 16
Diferente da propaganda enganosa do governo, o analfabetismo no Brasil é enorme. E no campo a situação é ainda mais graveDiferente da propaganda enganosa do governo, o analfabetismo no Brasil é enorme. E no campo a situação é ainda mais graveHoje no Brasil, milhões de jovens e adultos são analfabetos, sendo a maioria mulheres. Muitos nunca foram à escola, a maioria foi obrigado a largar os estudos quando ainda eram crianças para trabalharem e ajudarem no sustento da família. Aliado a isso, a péssima qualidade do ensino público. O resultado é alarmante, milhões que não sabem ou têm muita dificuldade de ler, escrever e fazer contas. Enquanto isso, os governos só fazem propaganda

Cansados de esperar pelos governos e para mudar este absurdo, a Escola Popular lançou a Campanha de Alfabetização.

Se os camponeses pelo país afora estão se organizado mais, construindo pontes, abrindo estradas, tomando latifúndios, cortando e distribuindo lotes para produzirem o sustento de suas famílias e garantirem o abastecimento das cidades, porque não conseguirão também acabar com o analfabetismo? Chegou a hora de mostrar o que o povo organizado é capaz de fazer também na educação. A Campanha de Alfabetização foi lançada em setembro de 2007 num encontro que reuniu 50 pessoas, entre camponeses, professores, estudantes, lideranças e apoiadores. Várias pessoas participam da Campanha, distribuindo panfletos e cartazes, montando as turmas, fazendo arrecadação.

Na Escola Popular as crianças dão os primeiros passos para aprenderem a ler, escrever e elevar sua compreensão sobre o mundo que vivemNa Escola Popular as crianças dão os primeiros passos para aprenderem a ler, escrever e elevar sua compreensão sobre o mundo que vivemNos dias 28, 29 e 30 de março de 2008 ocorreu o curso de formação dos educadores da Campanha de Alfabetização, em Theobroma, com 15 participantes das áreas Primavera, Canaã, Antônio Conselheiro, Gonçalo, Theobroma, Cujubim, Jacinópolis, Espigão D’Oeste e Porto Velho.
O conteúdo do curso foram os princípios da Escola Popular e as técnicas de alfabetização, como trabalhar com os nomes dos alunos, usar brincadeiras com as palavras, matérias de jornais populares,músicas, poesias, histórias da vida e trabalho dos camponeses.

Este curso se repetirá a cada três meses para que os educadores possam conhecer e treinar outras técnicas de alfabetização e aprender ainda mais trocando as experiências que já terão. Inicialmente serão montadas 6 turmas, mas conforme surgirem outras áreas interessadas também poderão participar da Campanha.

Participação destacada das mulheres na Campanha de Alfabetização

Normalmente as mulheres se destacam nas tarefas da Escola porque têm mais experiência que os homens, pelo fato de acompanharem mais de perto a educação dos filhos. A Escola Popular considera essencial estimular a participação das mulheres e para isso conta com o apoio do MFP – Movimento Feminino Popular para organizar reuniões nas áreas com as mulheres e os homens, explicar a importância da mulher não ficar só dentro de casa e participar das lutas do povo, principalmente da Escola Popular.

Não conseguiremos varrer com o analfabetismo de nossas áreas se as mulheres não participarem ativamente da Campanha de Alfabetização.

Turma de alfabetização de adultos: participação destacada das mulheresTurma de alfabetização de adultos: participação destacada das mulheres
   

Matérias da edição nº 20:

Editorial: O Brasil precisa é de uma grande Revolução

IMAGE
Passados seis meses de seu segundo mandato, Dilma/Lula/PT estão vendo cair por terra as máscaras que usaram para enganar o povo há mais de 20 anos. Fizeram tudo que disseram que não fariam: cortaram direitos trabalhistas como pensão, seguro desemprego e aposentadoria, reduziram o orçamento de educação e saúde. E como resultado, aprofundou a grave crise política e...
Companheiro Paulo Justino: presente na luta!

IMAGE
No dia 1º de maio, no distrito de Rio Pardo, mais um camponês foi covardemente assassinado. Paulo Justino Pereira era presidente de uma associação que lutava pelos direitos dos camponeses da região, principalmente terra para mais de 250 famílias despejadas há dois anos. Esta foi a principal reivindicação que ele apresentou numa reunião com Gercino José, o Ouvidor...
Camponeses fecham a BR e apontam necessidade de uma grande Revolução

IMAGE
Na madrugada do dia 9 de abril camponeses de diversas áreas organizados pela LCP fecharam a BR-364 em Jaru. O protesto foi contra os aumentos e medidas anti-povo decretados desde o início do ano pelo governo Dilma/PT e também exigiu regularização das áreas, energia elétrica, estradas e escolas. A manifestação também lembrou o dia 9 de abril como dia dos heróis do...
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO

IMAGE
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO Ari, Alcindo, Enio, Ercílio, José Marcondes, Nelci, Odilon, Maria Bonita, Oliveira, Jesus, Darli   1995 Honra e glória aos heróis do povo brasileiro!
Todos à celebração do 9 de agosto!

IMAGE
No dia 9 de agosto de 2015 completam-se 20 anos da heroica Batalha de Santa Elina, em Corumbiara. Nesse ano também se completam 5 anos da sua retomada e conquista. Depois de muita luta, hoje essas terras se encontram divididas em pequenos lotes onde centenas de famílias tiram seu sustento e movimentam o comércio da região. A LCP e os camponeses que retomaram estas terras,...
Juiz ordena despejo violento em Machadinho

IMAGE
No último dia 27 de maio, mais de 30 famílias foram despejadas do acampamento Cajueiro 1, localizado na fazenda Paredão, na RO-257, em Machadinho D’Oeste. Participaram da ação vergonhosa policiais da PM, GOE, do serviço de inteligência, da Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, fortemente armados, em várias viaturas e até num helicóptero. Os policiais obrigaram todos...
   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «