População de Buritis se levanta contra perseguições do Ibama

Escrito por Resistência Camponesa
Publicado em 25/11/2011
Categoria: Edição nº 19
População fecha as entradas de Buritis em protesto contra o Ibama.População fecha as entradas de Buritis em protesto contra o Ibama.Em julho, uma operação do Ibama e da Força Nacional de Segurança  apreendeu 2 caminhões carregados de madeira, em  Buritis. A extração de madeira é a principal atividade econômica da região, gerando centenas de empregos. Durante três dias madeireiros, trabalhadores das serrarias, comerciantes e a população em geral fecharam as estradas que dão acesso ao município, exigindo o fim da operação e liberação dos caminhões e das cargas. Os comerciantes também fecharam as portas em apoio ao protesto. Diante da pressão do povo o Ibama suspendeu a operação temporariamente.

Em setembro, outras operações de repressão foram realizadas culminando no fechamento de dezenas de serrarias e madeireiras na região, gerando enorme prejuízo à economia local e impedindo o povo de trabalhar.

Diante destas operações de perseguição aos trabalhadores as populações de Rio Pardo, Buritis, Jacinópolis, Cujubim, Machadinho, Jaci-Paraná, Nova Califórnia, Extrema, Minas Novas e União Bandeirantes têm protagonizado protestos radicalizados nos últimos anos.

O povo tem o direito de trabalhar

População fecha as entradas de Buritis em protesto contra o Ibama.População fecha as entradas de Buritis em protesto contra o Ibama.Nas décadas de 60 e 70 do século passado, camponeses de diversas regiões do país foram incentivados pelo gerenciamento militar fascista a se fixarem na Amazônia. O país precisava de nova fronteira agrícola  e somente os camponeses estavam dispostos a desbravar a região, amansando a selva  com suas feras e doenças tropicais e outras dificuldades. O Estado então incentivou o desmatamento, inclusive com financiamentos. Todos se lembram de como era a política na época: quem não desmatasse perdia o lote.

Este foi o período que os grandes latifundiários mais grilaram terras da Amazônia, seja através de maracutaia com o INCRA, massacres de povos indígenas ou expulsão de camponeses. E desmataram milhares de hectares para formação de pastagens.

Entretanto, os imperialistas, principalmente os Estados Unidos e países europeus, precisavam garantir novas fontes de matérias primas que tem em abundância na Amazônia, como minérios de todos os tipos, madeira, água, etc. Iniciaram então o discurso da Amazônia como “patrimônio da humanidade”, “pulmão do mundo” e da necessidade de “internacionalizá-la”.

Afinados como sempre foram com os interesses dos países imperionglistas, os gerentes de turno do velho Estado brasileiro, principalmente a partir de FHC e Lula, acentuaram a criminalização dos camponeses pobres e médios da Amazônia como “criminosos ambientais” e “desmatadores”. Tudo acompanhado do discurso dum suposto “aquecimento global” e “desenvolvimento sustentável”, tentando justificar como se as operações do Ibama e Sedam e outros órgãos repressivos fossem em defesa do meio ambiente.

As duas propostas contra o povo

O deputado Moreira Mendes e outros latifundiários, tentando ludibriar os camponeses começaram a dizer que a aprovação do novo código florestal era de “grande importância para os agricultores”. Este projeto, cujo relator é o deputado Aldo Rebelo do corrupto PCdoB de Renato Rabelo, na realidade defende o interesse dos grandes latifundiários, garantindo o perdão de suas multas milionárias e a derrubada de novas áreas. Prova disso foi a facilidade com que o projeto foi aprovado na câmara dos deputados.

Para os camponeses nada muda. A gerente Dilma já anunciou a criação duma “tropa de elite verde”, como se não bastasse os órgãos repressivos que já existem. A repressão do Ibama/Sedam só atinge os camponeses pobres e médios e pequenos madeireiros. Os latifundiários sempre ficam a salvo.

Para desmascarar a enganação do discurso de “desenvolvimento sustentável” basta ver a total miséria dos camponeses pobres onde foram implementadas as políticas das ONGs ambientalistas, que só permitem a produção extrativista. O estado do Acre, que é um grande modelo  para o PT, depende totalmente de outros estados, inclusive alimentos básicos como arroz, feijão e milho, pois os camponeses são proibidos de produzir nas terras.

As derrubadas e queimadas feitas pelos camponeses para tirar o seu sustento são “crime ambiental”. Os milhares de hectares derrubados pelos latifundiários ou as imensas áreas alagadas pelas usinas de Jirau e Santo Antônio são “progresso” e “desenvolvimento”. As grandes madeireiras também têm todas as facilidades para obtenção de planos de manejo, como é o caso da licitação da Floresta Nacional do Jamari, em que oito grandes madeireiras nacionais e estrangeiras estão inscritas para explorar suas riquezas por 60 anos. Tudo com a benção das ONGs ambientalistas, Sedam, Ibama e do gerenciamento petista.

   

Matérias da edição nº 20:

Editorial: O Brasil precisa é de uma grande Revolução

IMAGE
Passados seis meses de seu segundo mandato, Dilma/Lula/PT estão vendo cair por terra as máscaras que usaram para enganar o povo há mais de 20 anos. Fizeram tudo que disseram que não fariam: cortaram direitos trabalhistas como pensão, seguro desemprego e aposentadoria, reduziram o orçamento de educação e saúde. E como resultado, aprofundou a grave crise política e...
Companheiro Paulo Justino: presente na luta!

IMAGE
No dia 1º de maio, no distrito de Rio Pardo, mais um camponês foi covardemente assassinado. Paulo Justino Pereira era presidente de uma associação que lutava pelos direitos dos camponeses da região, principalmente terra para mais de 250 famílias despejadas há dois anos. Esta foi a principal reivindicação que ele apresentou numa reunião com Gercino José, o Ouvidor...
Camponeses fecham a BR e apontam necessidade de uma grande Revolução

IMAGE
Na madrugada do dia 9 de abril camponeses de diversas áreas organizados pela LCP fecharam a BR-364 em Jaru. O protesto foi contra os aumentos e medidas anti-povo decretados desde o início do ano pelo governo Dilma/PT e também exigiu regularização das áreas, energia elétrica, estradas e escolas. A manifestação também lembrou o dia 9 de abril como dia dos heróis do...
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO

IMAGE
9 de Abril: DIA DOS HERÓIS DO POVO BRASILEIRO Ari, Alcindo, Enio, Ercílio, José Marcondes, Nelci, Odilon, Maria Bonita, Oliveira, Jesus, Darli   1995 Honra e glória aos heróis do povo brasileiro!
Todos à celebração do 9 de agosto!

IMAGE
No dia 9 de agosto de 2015 completam-se 20 anos da heroica Batalha de Santa Elina, em Corumbiara. Nesse ano também se completam 5 anos da sua retomada e conquista. Depois de muita luta, hoje essas terras se encontram divididas em pequenos lotes onde centenas de famílias tiram seu sustento e movimentam o comércio da região. A LCP e os camponeses que retomaram estas terras,...
Juiz ordena despejo violento em Machadinho

IMAGE
No último dia 27 de maio, mais de 30 famílias foram despejadas do acampamento Cajueiro 1, localizado na fazenda Paredão, na RO-257, em Machadinho D’Oeste. Participaram da ação vergonhosa policiais da PM, GOE, do serviço de inteligência, da Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, fortemente armados, em várias viaturas e até num helicóptero. Os policiais obrigaram todos...
   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «