Em Montes Claros, estudantes lotam auditório em apoio aos camponeses

Escrito por Comitê de Apoio a Luta pela Terra
Publicado em 04/09/2013
Categoria: Notícias

No ultimo dia 03/09 realizou-se, no auditório do Centro de Ciências Humanas da Unimontes em Montes Claros, importante debate em apoio à luta das famílias camponesas da Comunidade Vitória/Cachoeirinha, que estão ameaçadas de despejo por liminar de reintegração de posse emitida pela Vara Agrária de Minas Gerais no último mês de julho.

Cerca de 150 estudantes participaram do evento que contou com a presença de representante da Comissão Nacional das Ligas de Camponeses Pobres; Arimar Gomes dos Santos da FETAEMG – Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Minas Gerais; “Seu Sula” e “Seu Jadé” históricas lideranças camponesas que participaram ativamente da heróica resistência camponesa de Cachoeirinha iniciada em 1967 e Geraldo Lajeado representante das famílias camponesas da Comunidade Vitória.

O debate, promovido pelo Comitê de Apoio a Luta Terra junto ao Diretório Central dos Estudantes; Centro Acadêmico dos Estudantes de Pedagogia; Movimento Estudantil Popular Revolucionário; Centro de Ciências Humanas e o Departamento de História da Unimontes é parte de uma ampla campanha pela suspensão imediata da reintegração de posse contra as trinta famílias remanescentes do Massacre de Cachoeirinha que vivem na Comunidade Vitória/Cachoeirinha e pela regularização definitiva de suas terras tituladas desde o ano de 2009 pelo ITER – Instituto de Terras.

Várias atividades de agitação política em defesa da luta camponesa de Cachoeirinha e a Revolução Agrária ocorreram na Unimontes antes da realização do debate. Estudantes passaram em várias salas de aula junto a camponeses e operários, mais de dois mil panfletos foram distribuídos e cerca de cem cartazes em apoio à luta pela terra afixados por toda a universidade.

Carta Aberta em solidariedade às famílias camponesas da Comunidade Vitória já conta com mais de trezentas assinaturas de personalidades democráticas, estudantes, professores, movimentos e entidades populares de todo o país.

O Comitê de Apoio a luta pela Terra, junto a Liga dos Camponeses Pobres e seus apoiadores, encerraram o debate unidos no propósito de dar continuidade à aliança entre estudantes/professores e camponeses contra as inúmeras reintegrações de posse no Norte de Minas Gerais e toda a criminalização da luta pela terra.

   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «