Latifundiário Nego Zen e parte do seu bando armado foi preso

Escrito por Resistência Camponesa
Publicado em 18/09/2014
Categoria: Notícias

No dia 15 de setembro o latifundiário Heládio Cândido Senn (conhecido como Nego Zen) e outras três pessoas foram presas por portarem armas de fogo. Além do latifundiário, também foram presos Wellington A.Silva (20 anos), Geraldo A.S.S (44 anos) e Donovã Alfreto Senn (22 anos). Eles portavam ilegalmente uma espingarda calibre 12, um revólver calibre 38 e duas carabinas, sendo uma calibre 28 e outra calibre 38, além de 36 munições intactas. E com certeza, essas armas são apenas uma pequena parte de muitas outras que ainda estão sob poder de outros pistoleiros que não foram presos nessa ocasião.

As prisões ocorreram na fazenda Rio Taboca, município de Chupinguaia, onde cerca de 20 policiais civis cumpriram mandados de busca e apreensão.

Heládio Cândido Senn (Nego Zen)Heládio Cândido Senn (Nego Zen)No início do mês, esse latifundiário e seu bando armado cometeram vários crimes contra famílias camponesas que estavam no acampamento Gilson Gonçalves. Diversas entidades denunciaram que esse bando armado havia feito disparos contra o acampamento. Durante vários dias mantiveram um bloqueio com homens armados na única estrada que dá acesso ao acampamento. No dia 5 de setembro sequestraram, mantiveram em cárcere privado e submeteram a tortura física e psicológica 2 camponeses, Daniel e Paulo Sérgio. Esses camponeses só não foram assassinados porque assim que eles desapareceram, se levantou uma intensa solidariedade de várias pessoas, entidades e organizações classistas em defesa de suas vidas. Inclusive foi organizada uma missão de solidariedade que se deslocou até a região e exerceu grande pressão para que o latifundiário, seu bando armado e a polícia militar prestassem conta do paradeiro dos 2 camponeses. Felizmente os camponeses saíram com vida, mas a tensão continua na região.

Clique aqui e veja o depoimento em vídeo de Daniel e Paulo Sérgio.

Como sempre e com raras exceções, o monopólio dos meios de comunicação e diversos meios noticiosos, pagos a peso de ouro com farta verba institucional, se calaram diante de tão graves denúncias e evidências.

Em outros casos, como de costume, acusam a organização dos camponeses, LCP, de divulgar versão mentirosa e tentam transformar as vítimas em responsáveis pelos crimes cometidos pelo fazendeiro.

Chegou-se a reproduzir a absurda afirmação do irmão do latifundiário dizendo que os camponeses Daniel e Pauo Sérgio realmente estavam na sede da fazenda, mas não foram sequestrados. Ora, não zombem de nossa inteligência! Será que os dois camponeses foram até a sede da fazenda cheia de homens armados, se amarraram e se trancaram num banheiro por livre e espontânea vontade?

Também foi publicado na internet que o ex-prefeito de Vilhena, Vitorio Abrão, servindo de menino de recado de Heládio (Nego Zen), afirmou: “o Nego Zen não quer violência no local, ele quer defender apenas o direito de propriedade de sua fazenda legalmente. Por isso entrou com um processo de reintegração de posse”

Se não queria violência no local, porque mantinham vários homens armados bloqueando a estrada, inclusive com a participação pessoal de Heládio? Pra que realizaram diversos disparos contra o acampamento? Porque sequestram, mantiveram sob cárcere privado e torturaram dois camponeses? O que faziam e o que fariam com essas armas que foram apreendidas?

Contra fatos, não há argumentos.

   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «