Pistoleiros ameaçam camponeses

Escrito por LCP de Rondônia e Amazônia Ocidental
Publicado em 23/12/2015
Categoria: Notícias
Camponeses do Acampamento Rancho Alegre 2, no lote 88, Linha 45, setor 03, Gleba Corumbiara, no município de Pimenta Bueno, denunciaram na sede da LCP que pelo menos 6 pistoleiros foram contratados pelo latifundiário e policial reformado Genival Azevedo Cavalcante para atacar os acampados. No último dia 18 de dezembro, duas caminhonetes entraram na fazenda, uma cheia de homens, a outra carregada com pertences e mantimentos. Os pistoleiros desceram numa mata bem próximo da entrada do acampamento, ficaram horas observando, deram vários tiros de ameaça contra os camponeses e foram embora a pé. No dia seguinte, as caminhonetes saíram, apenas com o latifundiário Genival Cavalcanti e o gerente da fazenda.
 
Os camponeses tiveram a informação de que estes pistoleiros vieram do Mato Grosso.
 
Uma ordem de despejo contra os camponeses foi suspensa recentemente devido às negociações que os camponeses têm feito com representantes do Incra e do programa Terra Legal em reuniões até na capital Brasília. O lote 88 é terra da União, em 2006 o Incra ajuizou ação para cancelamento do seu Registro Imobiliário para fins de reforma agrária. No último dia 19 de junho o superintendente do órgão reforçou a solicitação (documento em anexo).
 
A situação é muito grave. No acampamento vivem 40 famílias com várias crianças. Qualquer violência que ocorrer no Acampamento será de inteira responsabilidade do governador Confúcio Moura / PMDB e da presidente Dilma / Luiz Inácio / PT que não garantem o uso social da terra e nem impedem os crimes do latifúndio e seus bandos de pistoleiros e policiais, contra camponeses.
 
Basta de ataques de pistoleiros e policiais a mando de latifundiários contra camponeses!
O camponês quer terra, não repressão!
Terra para quem nela vive e trabalha!
Morte ao latifúndio! Viva a Revolução Agrária!
   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «