Gerência Temer/Meireles é massacre no campo!

Escrito por Comissão Nacional das Ligas de Camponeses Pobres
Publicado em 04/05/2017
Categoria: Notícias

Suspeito dos assassinatos de 09 camponeses em Colniza-MT no dia 19 de abril de 2017 foi denunciado pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental em 04 de fevereiro de 2016

Abaixo, matéria do monopólio da imprensa, em 03/05/2017:
 
Moisés Ferreira de Souza, ex-policial em Rondônia (Foto: Divulgação/Sesp-MT)Moisés Ferreira de Souza, ex-policial em Rondônia (Foto: Divulgação/Sesp-MT) Ex-PM é apontado como chefe de pistoleiros que mataram 9 pessoas em MT

Moisés Ferreira de Souza já teve a prisão decretada pela Justiça de Rondônia por roubo. Polícia de MT aguarda a prisão para interrogá-lo sobre chacina, em Colniza.

Por Pollyana Araújo, G1 MT

03/05/2017 12h16

E agora, pequeno trecho do boletim escrito pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental em 04 de fevereiro de 2016, publicado por Resistência Camponesa em 11/02/2016, sob o título “Bandos armados do latifúndio promovem terror no Vale do Jamari”:

Sargento pistoleiro MoisesSargento pistoleiro MoisesNo dia 3 de fevereiro, policiais que estariam procurando pelo desaparecido abordaram uma caminhonete com 4 pistoleiros: o 3º sargento PM Moisés Ferreira de Souza, Cristovão Rodrigues, Valdemir Pires dos Santos e Daniel Francisco dos Santos. A polícia apreendeu armas de grosso calibre e vários equipamentos bélicos na caminhonete Chevrolet S 10, placa OHU-1290 e na fazenda. O arsenal apresentado pelos policiais foi: uma submetralhadora 9mm, três espingardas 12, uma espingarda 28, uma espingarda 16, um revólver 38, mais de 300 munições intactas de diversos calibres, carregadores, coletes balísticos, capuzes, um rádio transmissor, celulares e documentos de outra caminhonete Amarock.
 
Zombando da inteligência da população, a polícia disse que o sargento pistoleiro conseguiu fugir, após agredir um policial no pé, quando era colocado na viatura! Ele se juntou a vários pistoleiros que estavam escondidos na mata e que começaram a disparar contra os policiais.

 

No link abaixo, a matéria completa:

http://www.resistenciacamponesa.com/noticias/799-pistoleiros-promovem-terror-no-vale-do-jamari-jovem-e-assassinado-e-queimado-outros-estao-desaparecidos

E o “modus operandi” mil vezes denunciado pelo Liga dos Camponeses Pobres, que consiste em policiais e pistoleiros, após serem presos, estranhamente “fugirem” da cadeia e depois aparecerem assassinando camponeses, se repetiu em Colniza-MT. E esse “modus operandi” para atacar o movimento camponês foi desenvolvido em Rondônia sob o comando da segurança pública nas mãos do testa-de-ferro da ABIN e capitão-do-mato das associações de latifundiários grileiros em Rondônia Coronel Enedy. Para quem não o conhece, reproduzimos a foto abaixo, quando desesperados latifundiários apelaram ao gerente de turno do Estado burguês-latifundiário serviçal do imperialismo para tomar alguma medida que salvaguardasse seu roubo de terras através da regularização fraudulenta de documentos. A foto é de 22 de novembro de 2016:

Confúcio Moura, Temer e EnedyConfúcio Moura, Temer e Enedy

Por tudo isso, e muito mais, os massacres de camponeses e indígenas não são fatos isolados. São política de Estado. Como mais uma vez fica claro na nota da Comissão Nacional das Ligas de 29 de abril de 2017, cujo link está abaixo, e também algumas fotos da matéria:

Arsenal encontrado em latifúndio do Ministro Padilha e camponeses assassinados em Colniza-MTArsenal encontrado em latifúndio do Ministro Padilha e camponeses assassinados em Colniza-MT

Como afirmaram os companheiros da LCP do Pará e Tocantins após um “arrastão” de reintegrações de posse ocorrido nos dias 22 e 23 de abril no sul do Pará, a revolta aumenta e o povo vai se levantar. E os dados do aumento de 232% de expulsão das famílias do campo em 2016 mostram que tamanha violência não fez, e não fará jamais, o povo desistir de lutar. Pelo contrário!

Morte ao latifúndio ladrão de terras, assassino e covarde!

Terra para quem nela vive e trabalha!

Viva a Revolução Agrária!

 

Comissão Nacional das Ligas de Camponeses Pobres, 03 de maio de 2017

   

Notícias relacionadas « » leia também:

Sem notícias relacionadas para exibir nessa página.


   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «