Falecimento do camponês Alberto, mais um crime do velho Estado contra o povo!

Escrito por LCP de Rondônia e Amazônia Ocidental
Publicado em 05/12/2017
Categoria: Notícias
Alberto e filha durante festa  junina na Área Canaã - junho/2014Alberto e filha durante festa junina na Área Canaã - junho/2014É com muito pesar, que a Liga do Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental comunica o falecimento do camponês Alberto Rodrigues Chaves, conhecido como Zinho. Nos últimos minutos do dia 13 de setembro de 2017, há um mês de completar 53 anos, Alberto faleceu numa ambulância, na BR364, antes de chegar em Pimenta Bueno. Em sua terra, no lote 64, Gleba Corumbiara, distrito de São Lourenço, no município de Vilhena, por volta das 9 horas da manhã do mesmo dia 13, ele sofreu um disparo acidental de sua arma de caça. Mas o companheiro foi vítima de mais um crime desse velho Estado contra o povo pois não recebeu atendimento médico adequado, apesar de ter chegado no hospital de Vilhena às 11 horas. O tiro que lhe atingiu acertou sua virilha, mão e olho. Como ele não estava com o cartão do SUS, só recebeu transfusão de sangue depois de sua filha brigar muito. Seu genro teve que voltar no sítio para pegar o documento e ainda acompanhar a polícia para uma “perícia”. E apenas às 23 horas ele foi transferido para Cacoal, apesar de Vilhena ser a 4ª maior cidade de Rondônia.

Enquanto governo reacionário de Temer e sua quadrilha dá de presente bilhões de reais aos latifundiários e grandes burgueses, os hospitais são precarizados sistematicamente; enquanto se gastam milhões de reais em operações de guerra contra o povo do campo e da cidade, as massas são condenadas à miséria e ao descaso completo dos serviços básicos de saúde e educação.

Alberto, ingressou com sua família nas fileiras da Revolução Agrária em 2009, na Área Revolucionária Canaã e em 2016, junto com suas filhas e seu genro, ele passou a lutar por outro lote na região de Vilhena. Ele nasceu em Minas Gerais, morou no Mato Grosso e então veio pra Rondônia. O companheiro também trabalhou como seringueiro, além de camponês. Alberto foi velado em Comodoro (MT), onde moram sua mãe e irmã. Ele deixou três filhas, um neto e um genro.

Companheiro Alberto, presente na luta!
   

Notícias relacionadas « » leia também:

Sem notícias relacionadas para exibir nessa página.


   
     
   
» Todo o conteúdo pode ser copiado e reproduzido desde que citada a fonte «