Não adianta, o povo vai tomar a Beirada!

Nova jogada dos latifundiários e grileiros na fazenda Beirada

Nos últimos dias corre o boato na cidade de que a fazenda Beirada foi “vendida” e que “agora vai produzir!”. Todo mundo sabe que mesmo quando teve produção lá os trabalhadores foram lesados, não receberam seus direitos e o Ministério do Trabalho denunciou trabalho escravo. É a mesma conversa fiada do senhor Cabral, foi o que ele divulgou quando o povo entrou na fazenda. Cabral está falido e quebrado e não quer largar o osso. Ele é um arrendatário sem contrato. Ele e o Frederico se juntaram para roubar a fazenda pra eles enquanto o povo fica sem terra. Fizeram a maior covardia ameaçando com armas e pistoleiros e atirando fogos de artifícios contra as famílias camponesas na madrugada de 23 de novembro do ano passado. Mais ainda, queimaram as roupas do povo e roubaram seus objetos de valor e as feiras compradas com sacrifício. Mas o povo não tem medo e já tá pronto pra entrar na Beirada de novo.

Cabral e Frederico sabem que para continuar roubando aquelas terras depois de armarem um bando de pistoleiros e atacarem os camponeses, teriam de contar mais alguma mentira. Quem iria, do dia para noite, comprar uma fazenda com milhões em dívidas com bancos, agiotas e o governo, milhões em multas por trabalho escravo e crimes contra o meio ambiente? Toda a cidade sabe que só em contas de energia somam vários milhões e que há um impedimento judicial para utilizar a água da lagoa para irrigação. Toda a cidade sabe que os bandidos que estão enfurnados na fazenda já roubaram praticamente todo o patrimônio: painéis e motores dos pivôs, maquinários agrícolas e muita madeira.

Quando dizem que o “novo dono” vai “produzir na fazenda e trazer emprego” não enganam ninguém. Todo latifundiário que chegou na Beirada veio com a mesma conversa. Mas o que sempre sobra para o povo é exploração do trabalho escravo e infantil, inúmeras causas trabalhistas nunca pagas, condições precárias de trabalho e acidentes, endividamento dos trabalhadores e dos comerciantes locais.

Nenhum latifundiário resolve os problemas do povo, muito menos ainda um bando de arrendatários e grileiros falidos! A única possibilidade da Beirada beneficiar o povo de Manga e região é ser tomada e dividida para mais de 100 famílias camponesas produzirem e viverem com dignidade!

Não tem jeito, a Beirada é nossa!!!

De nada adiantará mentiras e ameaças ! As famílias que ocuparam a Beirada em novembro do ano passado deram o passo decisivo e logo voltarão para essas terras que são suas por direito! Camponeses pobres de todos povoados, assentamentos e acampamentos que tem seus filhos precisando de terra para trabalhar, tá na hora! O povo pobre da região que precisa do seu pedaço de terra tem direito na Beirada!

Terra para quem nela vive e trabalha!
Tomar todas as terras do latifúndio!
A Beirada é nossa!
Viva a Revolução Agrária!

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Bahia