Lideranças presas no Piauí

Lideranças são presas no Piauí

No dia 21 de novembro, 41 famílias do acampamento Salitre Chileno, fecharam a BR-316, km 23, no trecho que liga o município Demerval Lobão a Teresina/PI. Os camponeses reivindicavam a desapropriação da Fazenda Buriti de 993 hectares.

Durante o fechamento da BR, os manifestantes fizeram barricadas queimando árvores no meio da rodovia, gerando um engarrafamento de cerca de 10 km.

Lideranças presas no PiauíSegundo relato dos participantes da manifestação, depois que a BR foi liberada para o tráfego de veículos, e os trabalhadores já se encontravam dispersos indo em direção a seus barracos, chegou a tropa da Polícia Rodoviária Federal dando início a repressão.

Ainda segundo os relatos, o grupo de policiais chegou em um microônibus. Os policiais começaram a xingar e ofender os manifestantes, e em seguida começaram a agredir fisicamente a todos.

Duas lideranças do Movimento Resistência Camponesa foram presas: Givanildo de Silveira e Romualdo Lopes de Sousa (vulgo Brazil). A polícia os prendeu sob alegação de tentativa de homicídio. Nenhuma prova ou indício que sustente a acusação foi apresentado.

Segundo denúncia dos manifestantes, o juiz da comarca de Demerval Lobão, José Raimundo Gomes, se negou a analisar pedidos de liberdade provisória e Habeas Corpus solicitados pelos advogados dos trabalhadores.

Claramente o que está acontecendo é uma tentativa de criminalização de um movimento de luta pela terra e suas lideranças. Fatos que só comprovam a falência dessa reforma agrária do governo, onde o problema agrário cada vez mais tem sido tratado como caso de polícia.